Centro Vianei de Educação Popular

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Convênio Carbono em Rede e município de Zortéia

E-mail Imprimir
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 
 Assinatura convênio Zortéia
Os agricultores do município de Zortéa, no Meio Oeste de SC, vão receber mudas de árvores nativas produzidas nos viveiros do projeto Carbono Social em Rede, em Lages. Convênio entre o Município, o Centro Vianei de Educação Popular (que leva adiante o referido projeto), o consórcio Machadinho, a Tractebel Energia e a Epagri de Zortéa foi assinado nesta semana  para que as mudas, e todo apoio necessário para que aquele município, num prazo máximo de sete meses, venham a implantar um viveiro municipal próprio seja possível, está previsto no referido documento.
O Secretário de Agricultura, Indústria, Comércio e Turismo de Zortéa, Aiques Zampieri, esteve em Lages na última quarta-feira (19/08) para celebrar a parceria com o projeto Carbono Social em Rede. Ele explicou que as atuais exigências ambientais, criadas a partir do novo Código Ambiental Brasileiro – bem como a necessidade do Cadastro Ambiental Rural (CAR) – está fazendo com que muitos agricultores tenham de repor espécies nativas em suas propriedades. “Temos propriedades que já desmataram demais. Além disso, há as Áreas de Preservação Permanente (APPs) como matas ciliares em torno dos rios e córregos, nascentes, topos de morro, além da Reserva Legal (RL)”, explicou. “Então, temos uma grande demanda de mudas. E o projeto Carbono Social em Rede, com toda a sua expertise e capacidade de produção, está nos socorrendo neste momento até que nosso próprio viveiro fique pronto”, informou.

O agrônomo José Luís Carraro, que coordena o projeto pelo Centro Vianei, disse que a parceria é muito bem vinda. “Nossos viveiros de mudas de árvores nativas estão em plena produção. Temos espécies das mais diversas como araucárias, cedros, canelas, ipês, bracatingas, araçás, ameixas, entre outras. Essas mudas serão distribuídas para os agricultores de Zortéa, assim como vem acontecendo com outros municípios e famílias parceiras. O objetivo é ir repondo as espécies nativas em locais onde o produtor não aproveita o espaço com agricultura”, comentou. “Depois de plantadas nas propriedades, essas árvores poderão ser adotadas por pessoas, eventos ou empresas para compensação das emissões de CO2 (Dióxido de Carbono). Neste caso, os agricultores receberão uma parte dos recursos decorrentes dessas adoções”, complementou.

O município de Zortéa tem apenas 20 anos de criação (emancipação político/administrativa). Foi criado a partir do desmembramento de Campos Novos (principalmente). Lá a produção de grãos, pecuária de leite e de corte, aliado à suinocultura e avicultura, se constituem em 80% da renda do município. “Temos sete comunidades rurais e cerca de 400 famílias que vivem no campo. Preservar e recuperar o meio ambiente, além de produzir, é nosso grande objetivo. Daí a importância desta parceria”, finalizou Aiques Zampieri, Secretário de Agricultura de Zortéa.

Loreno Siega – Sinergia Comunicações – Assessoria de Imprensa