Centro Vianei de Educação Popular

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Projeto em Rede é aprovado pela Misereor da Alemanha

E-mail Imprimir
 Projeto em rede
No final de dezembro de 2015 a Misereor aprovou o projeto “promoção da articulação entre o campo e a cidade em dinâmicas locais e regionais de abastecimento agroecológico, conjugado com incidência política em soberania e segurança alimentar e nutricional. O projeto foi elaborado pelas seguintes entidades: Centro Vianei de Educação Popular (VIANEI),  Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo (CEPAGRO),  Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP) e a Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa (ASPTA) de Palmeira que se articulam na Rede Ecovida de Agroecologia através dos seus trabalhos nos núcleos regionais.
O objetivo geral deste projeto em rede é “promover e articular dinâmicas locais e regionais de produção, processamento e abastecimento agroecológico em organizações do campo e da cidade, orientadas em relações Solidárias e nos princípios da Soberania e Segurança Alimentar das populações”.
Última atualização em Seg, 14 de Março de 2016 16:19 Leia mais...
 

USO EXCESSIVO DE ANTIBIÓTICOS NA AGROPECUÁRIA AMEAÇA SAÚDE E SEGURANÇA ALIMENTAR, ALERTA FAO

E-mail Imprimir
 Frango e antibióticos
Utilização excessiva de drogas na produção de alimentos tem provocado o aumento da resistência de micróbios, trazendo novos riscos à saúde das pessoas e dos animais. Fortalecimento de agentes infecciosos também ameaça produtividade dos meios rurais. Segundo a FAO, sete a cada dez doenças humanas recém-descobertas são de origem animal.
A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) destacou que o uso excessivo de antibióticos no setor agropecuário tem provocado o aumento da resistência dos micróbios que as drogas deveriam eliminar. Para a agência da ONU, a crescente dificuldade em combater agentes infecciosos é uma “ameaça global emergente de saúde pública”, capaz de afetar, também, a segurança alimentar. Conjuntura exige esforços coordenados em escala global.
Em conferência que reuniu ministros europeus da Agricultura e da Saúde, a vice-diretora-geral da FAO, Helena Semedo, ressaltou os riscos associados à utilização desmedida de remédios na produção de alimentos. Considerando-se que sete a cada dez doenças humanas recém-descobertas são de origem animal, a agência da ONU acredita que as práticas da agropecuária e os sistemas alimentares ocupam uma posição central no combate à resistência microbiana.
Última atualização em Sex, 19 de Fevereiro de 2016 11:55 Leia mais...
 

Natal Felicidade

E-mail Imprimir
 Natal Felicidade
Primeiro grande evento de Lages que terá suas emissões de CO2-e compensadas.

Uma parceria entre a Prefeitura de Lages, através da Secretaria de Turismo e o CDL Lages com o projeto Carbono Social em Rede, irá compensar parte das emissões de CO2-e do evento.

Serão 335 toneladas de CO2-e que serão emitidos pela festa e neutralizados pelo projeto Carbono Social em Rede.

Para isso, 1300 árvores nativas foram plantadas em comunidades tradicionais do campo. Parte dos recursos captados pela compensação serão direcionados as famílias do campo que plantaram e cuidam das árvores.

 

Última atualização em Sex, 20 de Novembro de 2015 07:45
 

Carbono Social em Rede é notícia no Correio Lageano

E-mail Imprimir
 Matéria Comais

Projeto foi apresentado na edição de 25/10 do jornal Correio Lageano. 

A matéria pode ser lida parcialmente aqui.

 

Última atualização em Qua, 11 de Novembro de 2015 19:34
 

Pinhão: Produto da Sociobiodiversidade

E-mail Imprimir
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
 Capa Cartilha do PinhãoJG_UPLOAD_IMAGENAME_SEPARATOR1

Centro Vianei, através do projeto, Promoção e Fortalecimento da Cadeia Produtiva  do Pinhão na Serra Catarinense, lança cartilha sobre o pinhão.

Clique aqui para baixar a cartilha. 

 

Última atualização em Sex, 21 de Agosto de 2015 08:42
 

Convênio Carbono em Rede e município de Zortéia

E-mail Imprimir
 Assinatura convênio Zortéia
Os agricultores do município de Zortéa, no Meio Oeste de SC, vão receber mudas de árvores nativas produzidas nos viveiros do projeto Carbono Social em Rede, em Lages. Convênio entre o Município, o Centro Vianei de Educação Popular (que leva adiante o referido projeto), o consórcio Machadinho, a Tractebel Energia e a Epagri de Zortéa foi assinado nesta semana  para que as mudas, e todo apoio necessário para que aquele município, num prazo máximo de sete meses, venham a implantar um viveiro municipal próprio seja possível, está previsto no referido documento.
Última atualização em Qui, 20 de Agosto de 2015 14:36 Leia mais...
 

COMO O AQUECIMENTO GLOBAL PODE MUDAR O MAPA

E-mail Imprimir
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

No pior cenário, completo derretimento das camadas de gelo de Antártida e Groenlândia elevaria mar em 60 metros. Continentes mais afetados seriam Ásia e Europa. Holanda, Bangladesh e várias 

http://i2.wp.com/agrosoft.com/agroarquivos/1442744323.jpg?w=474capitais brasileiras sumiriam.

De acordo com um estudo recém-publicado pelo Instituto Potsdam para Pesquisa do Impacto Climático, a temperatura global pode subir em média 12 graus Celsius (ºC) caso todos os recursos de combustíveis fósseis sejam esgotados na Terra. Isso resultaria no derretimento completo das camadas de gelo que cobrem a Antártida e a Groenlândia.

Embora o aumento de temperatura não deva acontecer repentinamente, a manutenção do atual comportamento da sociedade pode mudar a face da Terra, afirma Ricarda Winkelmann, principal autora do estudo alemão.

Segundo o estudo, caso todos os recursos disponíveis de combustíveis fósseis sejam queimados, a camada de gelo da Antártida entrará em colapso. Consequentemente, o nível do mar subiria três centímetros por ano. O ápice – depois de vários milhares de anos – seria de 58 metros, que corresponde à quantidade de todo o gelo derretido. Europa e Ásia seriam as regiões mais afetadas.

Última atualização em Sex, 25 de Setembro de 2015 15:33 Leia mais...
 

Vídeo do projeto Gênero, agroecologia e educação popular

E-mail Imprimir
 

Este material faz parte do projeto financiado pela Fundação Interamericana – IAF. É denominado “Assistência técnica e extensão rural em produção agroecológica, comercialização solidária e certificação sócio-participativa, tendo como alicerce as questões de Gênero e raça e como protagonistas as organizações de agricultoras familiares da Serra, Alto Vale e Litoral Catarinense”, e é realizado pelo Centro Vianei de Educação Popular em parceria com o Centro de Estudos e Apoio para a Agricultura de Grupo – CEPAGRO.

O projeto teve como público grupos e associações de mulheres trabalhadoras rurais, localizados nas regiões da Serra, Alto Vale do Itajaí e Litoral de Santa Catari- na. O foco do trabalho envolveu a produção, comercialização e certificação de alimentos agroecológicos com o alicerce conceitual baseado nas discussões de Gênero idealizadas pelo movimento feminista.

Última atualização em Qui, 20 de Agosto de 2015 16:10
 


Página 5 de 18